No Século XVII, o Sertão de Tibagi passou a receber expedições. Bandeiras paulistas e curitibanas passaram a percorrer a região à procura de ouro e diamantes no leito do Rio Tibagi.

Em 1782, Antonio Machado Ribeiro estabeleceu-se com sua família no local onde surgiria a cidade de Tibagi.

Por volta do ano de 1840, o sertanista José Mariano de Marins, procedente de Faxina, Província de São Paulo, chegou à região do atual município de Reserva. Acompanhado de pequena comitiva, procurou estabelecer-se nas proximidades das nascentes do rio Imbaú e estabeleceu-se entre os índios Coroados, no local que passou a ser conhecido por MARINS.

Não muito tempo depois da chegada de José Mariano de Marins, José Florentino de Sá Bittencourt, orientado por aquele, se estabeleceu em uma região que até os dias de hoje é conhecida por Campinas Belas.

Por volta de 1845, Hilário de Morais da Cunha e outros aventureiros advindos de Apiaí, província de São Paulo, com o intuito de garimpar ouro de aluvião, que constava existir nas margens do rio Tibagi chegaram na região. Nesta expedição, foram informados, ainda existirem terras que não tinham sido tocadas, e que constituíam Reserva, por pertencerem a uma tribo de índios denominada Caicangues. Daquela área de terras, que pertencia à reserva dos índios, foi de onde surgiu o nome que, muitos anos mais tarde, foi dado à localidade.

Em 1872, o senhor Hilário Morais Cunha efetuou a colonização de suas terras e nessas, surgiram as primeiras fazendas: Fazenda Reserva, Fazenda Pinhalzinho e Fazenda Campina Bela, na localidade de mesmo nome.

Os primeiros proprietários rurais foram os senhores Antonio de Andrade Camargo, José Pedro e Jordão Andrade Camargo, José Morais Lacerda e o Coronel Luiz Barbosa de Sá Bittencourt.

Em 1897 um povoado passou a desenvolver-se na região e em 1900 já contava com 400 habitantes.

A primeira denominação do povoado foi Pinhalzinho, por ser esse local rico em pinheirais, sendo em seguida substituído definitivamente pela denominação de Reserva, origem de Reserva dos Índios, em virtude de parte dessas terras serem reservadas aos índios Caicangues que habitavam a região.

Em 20 de abril de 1906, Reserva foi elevada à categoria de Distrito Judiciário pela Lei nº 22, de 20 de abril do mesmo ano, pertencente ao Município de Tibagi, que havia sido elevado a Município em 18 de março de 1872.

Em 03 de Janeiro de 1921, Reserva foi desmembrado do Município de Tibagi pela Lei Estadual Estadual nº 2.038, e em 26 de março daquele ano foi instalado oficialmente o Município.

Após a criação do Município foi criado o Cartório Criminal, Civil, Eleitoral e Tabelionato, ficando como encarregado o sr. Joaquim de Oliveira Viana.

Em 1938 o Município foi elevado à categoria de Comarca, e o nome foi alterado para Campinópolis, porém essa denominação não persistiu, voltando o Município a chamar-se Reserva.

Fontes:
O Paraná e seus Municípios. João Carlos Vicente Ferreira. Cuiabá: 1999;
PARANACIDADE
Revista comemorativa ao 66º Aniversário do Município de Reserva, Editada em 1987.

 

Site: Presidência da República Federativa do Brasil

Site: Tesouro Nacional / Ministério da Fazenda

Site: FNDE - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Site: MEC - Ministério da Educação

Site: Caixa Econômica Federal

Site: Ministério das Cidades

Site: Secretaria da Receita Federal

Site: PGFN - Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional

Site: Banco do Brasil

Site: Previdência Social - Ministério da Previdência Socal

Site: Ministério da Saúde

Site: DATASUS - Departamento de Informática do SUS

Site: TCU - Tribunal de Contas da União

 

Site: Portal do GOVERNO DO PARANÁ

Site: DETRAN - PR - Departamento de Trânsito do Paraná

 

 

Prefeitura Municipal de Reserva - Avenida Coronel Rogério Borba, 741

CEP: 84320-000 - Centro - Reserva - Paraná - Brasil

Telefone/Fax: (42) 3276-8300